domingo, abril 24, 2005

A Cuba de Fidel !!!

Visitar Cuba era um sonho antigo. Para mim, como para muitos jovens em todo o planeta, a revolução cubana sempre despertou um enorme fascínio. Ver como um povo continua a resistir, orgulhosamente, 46 anos depois da sua revolução, a todo o tipo de ataques do exterior foi sempre algo que me despertou um certo romantismo. Por tudo isto, na minha visita a Cuba, o meu principal objectivo, não era desfrutar das belas praias e do clima fabuloso desta ilha, mas sim tentar compreender na realidade e ao vivo como vive este povo, o que pensam de Fidel e o que esperam do amanhã . Para mim, isto era fundamental, uma vez que todos os dias somos invadidos com informação intoxicada, e onde o inimigo tenta influenciar a nossa mente. Como diz o ditado, e já é velhinho, "Ver para crer!"
Penso que ao longo dos meus curtos dias de estadia na ilha, consegui absorver muitas ideias. Para isso, foi fundamental o Alexys, o nosso amigo cubano, que com a paciência de um santo, respondeu sempre calmamente às centenas de perguntas que eu lhe fazia. Eu queria saber tudo, e pelas visitas na cidade de Habana, os meus olhos pareciam uma autentica câmara fotográfica, sempre pronta a disparar, pois não queria perder nada.
Habana e o povo cubano são realmente fascinantes. Encontramos uma cidade que não deixa indiferente quem cá passa. E nisto tivémos muita sorte, pois tivemos a oportunidade de conhecer a Habana dos roteiros turísticos, mas principalmente a Habana dos cubanos, do trabalho, das escolas, dos hospitais, das farmácias e de todo um dia-a-dia de um povo. Uma das primeiras impressões que tive, e que mantive até ao último dia, é que Habana é uma cidade bastante segura e onde, e ao contrário do que muitas vezes se fala por aqui, não existe nenhum tipo de separação entre os turistas e os cubanos. Eu e a Liliana , tivemos oportunidade de percorrer as ruas de Habana à oite, ruas muito pouco iluminadas, o que acontece por toda a Cuba, e o sentimento que tinhamos era de total segurança. Aí se fosse em Lisboa...
Quanto á pobreza que tanto se fala por cá, também não a vimos. De certeza que em Cuba ningúem morre à fome, até porque segundo me disse o Alexys, o Estado todos os meses dá um cabaz de bens essenciais à população. As pessoas têm uma vida mais humilde do que por cá, as casas são mais humildes e óbviamente que vimos pessoas pobres e a mendigar, mais na parte turística da cidade, mas estas pessoas curiosamente ou talvez não, não nos pediam comida, dinheiro e essas coisas que habitualmete estamos habituados por cá. Pediam-nos normalmente coisas como canetas, sabonetes, pastas dentífricas e coisas desse género, pois com o criminoso bloqueio que os Estados Unidos decretaram a ilha, essas coisas, apesar de existirem na ilha, são vendidas a preços muito altos e que não estão acessíveis à maioria dos cubanos.
Quanto ao resto, fiquei fascinada com muito do que vi. Não posso dizer que concordo com tudo, pois sou claramente contra a pena de morte, por exemplo, mas os Estados Unidos , que se auto-intitulam de exemplo de democracia , também a praticam e em muito maior número do que em Cuba...

6 comentários:

Liliana Vidal disse...

Pois é, os Habaneros são realmente um povo incrível...

Liliana disse...

Tenho tantas saudades de Havana!

Tanque Silva disse...

Eu também , temos que voltar lá em breve!!!

Liliana disse...

Os cubanos ensinaram-me que com pouco se pode fazer muito! Que sonhar não tem limites e que a liberdade é tudo o que precisamos...

Los Habaneros disse...

Morito, quado é que vamos novamente a CUBA, hum?

Tanque Silva disse...

Por mim era já hoje . As saudades são muitas Foi muito melhor do que esperava e as minhas expectativas já eram muito altas .Cuba si!!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...